Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/maringay/public_html/wp-content/themes/prolog/admin/extensions/customizer/extension_customizer.php on line 312

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/maringay/public_html/wp-content/themes/prolog/admin/extensions/customizer/extension_customizer.php on line 325

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/maringay/public_html/wp-content/themes/prolog/admin/extensions/customizer/extension_customizer.php on line 351

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/maringay/public_html/wp-content/themes/prolog/admin/extensions/customizer/extension_customizer.php on line 363

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/maringay/public_html/wp-content/themes/prolog/admin/extensions/customizer/extension_customizer.php on line 382
Conheça os goys, homens que se pegam, mas não se consideram gays

Conheça os goys, homens que se pegam, mas não se consideram gays

Superpride

Falar da sexualidade humana é percorrer um labirinto com dezenas de possibilidades, que normalmente acabam no preconceito. Quando não entendemos algo, temos o hábito de apontar e criticar. Outro mal da nossa raça.

Há algum tempo, surgiu nos Estados Unidos uma nova proposta sexual, que revelou um comportamento diferente e que reflete os tempos modernos: os “g0y” ou “g-y”. A escrita é estranha, porque no lugar do “a” tem um “zero”, mas é assim mesmo. Eu não sei como se pronuncia isso, diga-se.

Bom, esse é um grupo de homens não afeminados, que gostam de estar com outros homens, mas sem sexo com penetração, que cultua o machismo e o conservadorismo.

Aqui no Brasil, o Ministério da Saúde já usa um termo semelhante em suas campanhas de DST’s, para designar garotos de programa, por exemplo. Chamamos de “HSH” (Homens que fazem Sexo com Homens). A diferença entre esses dois grupos é gigante. Michês fazem isso por dinheiro. Os g0ys vivem isso como verdade.

Pra você ter uma ideia de como o negócio está avançado, existe até um estatuto, com regras pra se tornar um membro, que foram publicadas no site deles. São essas:

1- G0ys não namoram nem casam com outros g0ys, têm no máximo uma amizade íntima. Casam-se com mulheres.
2- G0ys são a salvação do “homem de verdade” e, por isso, não permitem qualquer associação com imagens e clichês do mundo gay.
3- G0ys criam clubes de relacionamento onde só é permitida a entrada de outros g0ys.
4- G0ys não devem se envolver com o universo gay.
5- Goys são machistas.

Ficou chocado? Eu também. Principalmente pelo preconceito latente que parte deles.

No meu entender, esses caras são gays enrustidos, com homofobia enraizada, que querem manter relações com outros caras às escondidas, mantendo uma família tradicionalmente aceita pela sociedade. Ou seja: nada de novo! Quantos país de família não viveram assim até hoje? A diferença é que agora eles estão organizados e são reconhecidos.

Os g0ys são associados à geração Y, da internet, descolados, super antenados e se dividem em dois grupos: os hétero g0ys e os gay g0ys. Existem relatos de que o sexo oral é tolerável, bem como a fricção do pênis e o contato dos corpos. Ambos fazem pegação e masturbação com outros caras, mas não praticam sexo anal com penetração, por considerarem o ato degradante.

A negação do estereótipo feminino que muitos gays têm, e, principalmente, a falta de penetração, justifica o “zero” no nome. Esse movimento já é uma realidade, não para de crescer entre héteros e gays que querem “prezar” a liberdade e preservação da masculinidade.